DESPERSONALIZAR OS ERROS

Cezar Almeida

Ministrando um treinamento esta semana, um participante me fez uma pergunta baseada em um texto do manual que falava sobre despersonalizar erros.

Vamos então discutir um pouco essa questão. Normalmente as pessoas tendem a ver os erros como pessoais. Daí, ao lidar com o erro, lida-se com a pessoa, não com o problema. “Despersonalizar os erros” é não atacar a pessoa, mas atacar o problema.
Por exemplo:  um funcionário teria que preparar uma apresentação para uma reunião e a apresentação não saiu clara.

Duas abordagens possíveis:
Uma é atacar a pessoa, usando você. A correção do erro passa a ser um ataque, em alguns casos pode até humilhar o outro. Ex.: Você foi ruim na apresentação. Você não soube apresentar direito, você não é claro, você fala demais, você, você, você…

Uma outra forma é atacar o problema. Não a pessoa.
A diferença é sutil, mas a receptividade de quem cometeu a falha muda muito.
Ex.: A apresentação foi ruim. A apresentação poderia ter sido mais clara, mais objetiva.  Ou ainda, através de perguntas: De que maneira poderia ser feita essa apresentação melhor? Ou ainda pergunta a pessoa o que ela achou, se ela poderia ser mais clara da próxima vez. Ou ainda, o que poderia fazer diferente na próxima apresentação para que ela fique melhor?

Veja, no segundo exemplo eu falo da apresentação, não da pessoa. Ela tende ficar muito mais aberta ao invés de buscar justificativas ou ficar ressentida com a minha abordagem. Alguém pode perguntar, mas a pessoa fez a apresentação, ela não sabe que é com ela!?! Exatamente! Mas uma coisa é ela saber que foi ela, outra é ser atacada por quem quer que seja. Afinal de contas, ela não é necessariamente isso ou aquilo, ela fez algo e o resultado do que ela fez é o que interessa ao líder gestor. Sendo assim, ela saberá corrigir e sentirá que, apesar de ter tido um desempenho ruim, ela poderá ser melhor na próxima vez.

Um dos papéis do líder é tornar as pessoas mais fortes, mais capazes e com vontade de realizar. Ao despersonalizar os erros se consegue aumentar a força das pessoas, sem deixar de atacar e corrigir eventuais desvios que possam acontecer.