Crie seu próprio microclima em 2015

Qual é o nosso papel diante de um cenário de crise econômica?
As previsões para 2015 são negativas em vários sentidos e para fazer deste um ano positivo em sua vida e carreira, uma das dicas é criar o seu próprio microclima. Organizações públicas e privadas também podem se valer deste conceito e, com isso, não serem afetadas por perspectivas macroeconômicas ruins.
No meu artigo publicado no Correio, em 17/4/15, discuto um pouco esta questão. Leia abaixo e comente.

Crie seu próprio microclima em 2015

Crie o seu próprio microclima em 2015* 

Participando de um evento, recentemente, ouvi de um dos sócios de uma grande empresa nacional, líder no seu segmento, sobre como ele enxergava o cenário econômico do Brasil e como acreditava que haviam preparado a empresa para enfrenta-lo. Enfático, afirmou logo que a macroeconomia não o interessava. Distante de ficar alheio às crises econômicas diversas, o que ele acredita e se concentrava era em criar e manter o seu próprio microclima e, para explicar este conceito, trouxe-nos um exemplo. Imagine que você está uma região seca e árida do sertão nordestino. Neste lugar, delimite uma gleba de alguns hectares para seu experimento, fure alguns poço artesianos e irrigue toda a área com frequência, podendo assim plantar novas espécies de árvores e plantas diversas. Depois de um tempo, independente do que ocorre em volta da área escolhida, aquele lugar será diferente da sua vizinhança. Uma nova flora surgirá, adaptada a maiores volumes de água, assim como um fauna será atraída. Depois de um tempo, então, teremos um microclima criado artificialmente.

As previsões econômicas para este ano são todas ruins, com quedas previstas no riqueza do país (PIB), na produção industrial e no nível de consumo das empresas e famílias. Por outro lado, o que deverá aumentar é o desemprego, a inflação e o endividamento. Em um contexto como esse, deixar contaminar a nossa atitude por esta conjuntura negativa pode ter impacto proporcional nas performances pessoal e organizacional. Não podemos nos abster da discussão política e econômica, participando ativamente da vida pública diária, porém o cuidado é separar esta discussão da nossa agenda, de nossas metas e de nossos objetivos profissionais e pessoais.

Empresas e pessoas podem escolher como olhar para 2015, se como um ano que será ruim ou se vamos furar os poços e irrigar nossas carreiras e negócios, criando o nosso próprio microclima. É um ano em que assume prioridade na agenda engajarmos ainda mais as pessoas que trabalham conosco e, com isso, transformar o nosso ambiente do trabalho em um lugar sustentável, gerando satisfação para as pessoas, compromisso ambiental e social e lucratividade para os sócios. Devemos continuar nesta onda de participação ativa na vida pública, exigindo que governos, em todas as suas esferas, implementem mudanças na nossa economia e política. Mas, para fazer diferença de verdade em nossas vidas, temos trabalhar todos os dias para construir um poderoso microclima em 2015, tantos para as organizações que atuamos, como também para nossas carreiras.

* Cezar Almeida  é economista, professor e diretor da Associação Brasileira de Recursos Humanos – ABRH Bahia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s