Uma cidade empreendedora

Reprodução abaixo de artigo publicado no Correio em 5 de dezembro de 2014.

——

Uma cidade empreendedora

Uma reação de decepção, tristeza e choque de realidade tomou conta da cidade com a divulgação pela Endeavor que Salvador era a última colocada no ranking das melhores cidades para se empreender. A pesquisa, feita entre 14 principais capitais brasileiras, deixou a metrópole baiana distante de sua importância histórica, cultural e econômica. Todos que vivem nela conhecem alguns problemas crônicos que a tormentam, como a violência crescente, a falta de mobilidade e a qualidade baixa da educação. É evidente que este não é um ambiente favorável para quem deseja empreender.

Não resta dúvida do papel governamental para melhorarmos este cenário, em todas as suas esferas: federal, estadual e local. Gostaria aqui de chamar atenção especial ao papel do governo municipal. Além de suas obrigações constitucionais, a prefeitura também é o principal protagonista das políticas públicas de uma cidade e cabe a ela planejar, organizar e gerir projetos, lidando com questões práticas e também outras intangíveis, e não menos importantes, como a esperança, o orgulho e o entusiasmo de quem vive e trabalha na cidade. O prefeito e os secretários lideram este processo e são figuras de proa desta nau, mas sem os servidores públicos municipais, este barco não navega. Não tem como ter aula, atendimento médico, trânsito fluído, nem muito menos emissão de alvarás de licença de funcionamento para empresas sem que os servidores estejam envolvidos. Cuidar do servidor, então, é fundamental para virarmos o jogo e transformarmos a cidade.

A gestão municipal dá sinais que está atenta à gestão de pessoas quando negocia e aprova um plano de cargos e salários e contrata um plano de saúde para seu quadro funcional, reinvindicação antiga e necessária, temas que foram abordados no Fórum de Gestão de Pessoas na Área Pública, realizado em Salvador no dia 25 de novembro, promovido pela Associação Brasileira de Recursos Humanos – ABRH Bahia. O Secretário de Gestão, Alexandre Paupério, apresentou ações que demonstram um caminho de valorização e cuidado com o servidor público municipal. É verdade que há ainda muito o que fazer, mas se continuarmos nesta rota, teremos equipes de servidores públicos capazes de entregar cada vez mais serviços de qualidade à população e, como fazem os empreendedores, obter cada vez mais resultados com menos recursos.

Com servidores engajados a nossa cidade se tonará cada vez mais um ambiente propício para empreendedores criarem oportunidades e empresas inovadoras. Que a capital mais plural seja, um dia, a mais empreendedora do Brasil.

Cezar Almeida – Diretor de Relações Institucionais da ABRH Bahia.

Print da página publicada no Correio:

Uma cidade empreendedora - Correio - 5/12/14